1.ago.2012

Verdades e mitos sobre a adoção…

Por @Alesie

Há pouco mais de um ano, nascia o Projeto SalvaCão, meu sonho de vida tornado realidade. De lá pra cá, meu cotidiano é esse: batalhar contra os preconceitos que ainda existem no Brasil quando se trata de adotar cachorros.

É tanto mito difundido (do tipo: quanto menor o cachorro, mais calmo ele é) que a gente chega a ficar triste. Na hora de adotar um cachorro, informação é TUDO. Se você pensa na adoção, por favor, faça todas as perguntas que precisar fazer. Ninguém nasce sabendo. Tem que se informar com um veterinário, com um treinador, com um protetor de animais antes de decidir qualquer coisa por impulso.

Não adote baseado no que você OUVIU FALAR. Informe-se. É a sua família envolvida, e é a vida de um cão que provavelmente já sofreu bastante até chegar a você. Ele merece agora a chance de nunca mais ter uma mudança brusca em sua vida. A figura do protetor animal serve para isso: ajudar você a escolher O MELHOR cachorro do mundo para o seu perfil e o da sua família.

Pensando nisso, pedi a dra. Janaina dos Reis (@janreis), médica veterinária do Mister Vet e membro do Projeto SalvaCão, e a Yara Hirano (@passodecao), especialista em comportamento animal, treinadora e dona da Creche Passo de Cão, que me ajudassem a responder a algumas perguntas, tipo um FAQ, os mitos e verdades mais comuns que nós protetores ouvimos de quem quer adotar um cão.

Confira as respostas a seguir!

1. Castrar cachorro é “judiação
Dra. Janaína: Não. A castração é um ato de amor, pois previne diversas doenças e com iss prolonga o tempo de vida do animal. Sem contar que evita crias indesejadas e brigas nos períodos de cio.

Yara: Castrar é um ato de amor. Inibe a procriação desenfreada e traz benefícios à saúde do animal. Quanto ao comportamento, ajuda na questão de monta, briga e marcação de território. Outro mito dizer que o cão perde a libido. Já vi alguns cães cruzarem depois de castrados.

2. Bom é adotar filhote, pro bicho “acostumar” com a família
Dra. Janaína: Isso é muito relativo. Muitas vezes a adaptação de um animal adulto é muito mais tranquila do que de um filhote. Tudo depende do perfil do animal e do perfil do adotante.

Yara: Filhotes são “elétricos”, estão conhecendo o mundo. Eles vão destruir muitas coisas, precisam de tempo para aprender o que pode e o que não pode. São divertidos, em geral dóceis, e tendemos a “estragá-los” do ponto de vista comportamental. Adotar um cão adulto traz as mesmas alegrias de um filhote. Com um cão adulto, você já pode saber como é a sua personalidade, se ele tem muita energia ou não, se o tamanho e seu temperamento condizem com o que você quer e pode oferecer em troca. Cães adultos aprendem, se adaptam e são treináveis, assim como filhotes.

3. Cachorro vira-lata é arriscado porque vc nunca sabe o temperamento, raça é mais confiável
Dra. Janaína: Errado. Cada animal é um indivíduo, independente da raça ou sexo. Parte do temperamento do animal está diretamente relacionado com a sua criação e educação. Cães “de raça” ou SRD devem ser educados e acompanhado. O aprendizado é contínuo.

Yara: Mito. Cães de raça podem possuir características mais marcantes porque sua linhagem e cruzamento assim determinaram. As raças foram divididas em grupos, tipo pastoreio, terriers, caça etc. Atualmente, temos cães de caça como pets, por exemplo. Isso nos mostra claramente que os cães se adaptam a diversas situações, e TODOS podem ser pets de companhia.  Quanto ao temperamento, sempre trabalharemos com características previsíveis e outras imprevisíveis.

4. Cachorro pequeno é pra ambiente pequeno, cachorro grande é pra casa com espação
Dra. Janaína: Temos animais de grande porte que se adaptam absurdamente bem à espaços pequenos e cães pequenos que precisam de muito espaço. Isso está ligado ao fato de que cães de pequeno porte muitas vezes são mais ativos que cães de grande porte.

Yara: Relativo. Há cães grandes que convivem bem num apartamento, e cães pequenos que precisam de espaço para correr – e vice-versa. Isso depende do TEMPERAMENTO e do NÍVEL DE ENERGIA que cada um possui. Engana-se quem acha que TODO cachorro precisa de espaço grande. Afirmo que um cão precisa de atividades e de companhia. Ele pode ter um superquintal, mas raramente vai correr ali sozinho enquanto você trabalha; ele quer interagir com você. Ele não pode ficar confinado (em um canil, em uma casa, em um apartamento) sem nenhuma atividade, correr, caminhar, cheirar, interagir: isto é prisão. Cães são animais extremamente dependentes dos humanos e por isso precisam de atividades diversas. Passeios diários são o mínimo que podemos lhes oferecer. Tanto que uma das primeiras frases que reconhecem é: “Vamos passear?”.

5. Cachorro que já sofreu muito na vida é agressivo e perigoso
Dra. Janaína: Alguns animais que já sofreram agressões e maus tratos podem sim ter traumas, mas isso não é regra. A grande maioria se torna carinhoso e “agradecido” após adquirir confiança nos seus novos donos. É tudo uma questão de trabalhar esses traumas com especialista em comportamento animal

Yara: Cães que já sofreram podem trazer medos, traumas, mas a maioria é reabilitável. Há de se ter paciência para a adaptação de um cão ao novo lar. A primeira semana é um pouco estressante para os humanos. Por isso, tenha em mente sempre, ao levar um cão para casa, como será sua rotina, como local das necessidades, local de dormir, hora dos passeios e das refeições. Evite mudanças bruscas. Se pegar o cão no fim de semana, ensine-o a ficar só por algumas horas, desde o primeiro dia, e aumente as horas, porque esta será a sua rotina quando voltar a trabalhar. Choros e latidos são normais, NUNCA volte ou fale com ele enquanto ele estiver neste processo de choro, mesmo que esteja raspando sua porta. Ter dó nem sempre é ajudar. Quem ama educa, como diz sabiamente Içami Tiba. Sempre é bacana consultar um especialista que o acompanhe nesta fase de adaptação. Isso facilitará ser assertivo no momento. Baixe sua ansiedade, dê tempo ao animal. Eles serão eternamente gratos a você.

Uma resposta para “Verdades e mitos sobre a adoção…”

  1. Rochele Tem Pahs disse:

    Meu namorado e eu adotamos uma vira-lata adulta. Foi uma das melhores que já nos aconteceu na VIDA!
    Ela era medrosa no começo, muito provavelmente, porque era mal-tratada, mas hoje ela tem confiança plena na gente, é super querida, aprendeu tudo rapidinho e o melhor: nos dá um amor sem fim, faz a gente se sentir completo. Com ela o nosso mundo fica perfeito.

    Recomendo a todos adotar um animal adulto. <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *